domingo, 26 de junho de 2011

O Livro do Cemitério e outras coisas…

“A mão estava no escuro e segurava uma faca”

Mês passado comprei um dos últimos romances de Neil Gaiman: O livro do cemitério (The Graveyard Book). E ainda não sei se gostei ou se me decepcionei.

Tenho paixão pela obra do autor por sua incrível capacidade de juntar o sonho, a magia, o sobrenatural e o mundo real. A impressão que sempre tive é que ele vive uma constante viagem de LSD, pois deve enxergar seres mágicos e místicos em todos os lugares! Uma qualidade que admiro é a de utilizar referências a clássicos dos quadrinhos, cinema, literratura e fazer suas próprias reinvenções dos mesmos.

Mas sobre o livro, fiquei insatisfeito. A história é leve, caberia ,talvez, num conto: uma criança escapa do massacre de sua família em uma pequena cidade inglesa e passa a viver num cemitério, criada pelos fantasmas, licantropos, bruxas, envolvido num mundo paralelo e tão distante do nosso. (ironia on)

Há muitos méritos no romance, claro! A narrativa inicial nos instiga a continuar a ler e há partes que me faziam querer comer o livro de tão bom. O problema foi o final… Aberto, um corte súbito, um fim que é um começo, mas que em vez de dar completude ao que foi lido, deixa um vazio no leitor. A sensação era que li a primeira parte de um filme que será publicado por anos a fio, mas ninguém me avisou disso.

De qualquer forma, Gaiman é Gaiman, então #ficadica !

Outro pontos:

- Jogo online Aika – em português, gratuito, todo o pacote dos mmorpgs (Massive Multiplayer Online Role-Playing Game) incluído para deleite dos fãs. Boa qualidade gráfica sem pesar demais no PC.

- Contadores de Histórias em preparação!! Esse ano sentimentos são o tema!! Ouça uma das músicas que cantaremos e contaremos!!

- Projetos mil na cabeça e no coração! Esse ano é o ano de trabalhos, gente!!

 

* Música do Dia: Katy Perry – Firework – clique aqui!

 

Abraços a quem me lê.

2 comentários:

Thiago disse...

ah! cê é a cara dos Contadores de Histórias. nunca fiz parte, mas dá um orgulho danado ver que eles continuam firmes e fortes!!

Priscila ;) disse...

Nossa, amo livros tipo esse que você citou Jod, mas tenso o final ser meio vago né?! Por isso que tenho ficado revoltada com o que leio por ai... Tenho pego só livros que encontro finais vagos. Não sei imaginar o que poderia acontecer e tbm, queria saber do autor. Algo mais concreto talvez, ou que me deixasse a sensação *o* , entende? Mas vou ver se leio nas férias (:
valeu a dica e sempre de mais *--*
bjo bjo